Empreendedorismo: EsqueçoPapel multiplica serviços nas lojas de Monção e Melgaço e abre a oportunidade ao franchising

Com uma loja em Melgaço e duas em Monção, a EsqueçoPapel continua a marcar pela inovação e busca constante pela multiplicidade de serviços. É já enquanto marca aglutinadora de serviços diferenciadores, que primam pelo atendimento pessoal, que lança, cinco anos após a instalação da primeira loja no concelho melgacense, a oportunidade de franchising. A oportunidade de negócio surge pelo interesse de investidores, num momento em que, com a abertura da terceira unidade no Rio Park, em Monção, a EsqueçoPapel soma algumas representações exclusivas no concelho e projectos pioneiros no conceito.

Além do habitual e já conhecido serviço de papelaria, venda de revistas e jornais da imprensa nacional e estrangeira, há surpresas no que respeita à venda de tabacos, somando às tradicionais marcas de cigarros convencionais o IQOS, o dispositivo electrónico que não pretende ser um equipamento vocacionado para quem quer deixar de fumar, mas para que o fumador comum possa disfrutar desse vício de forma mais saudável. O dispositivo inova pelo facto de aquecer o tabaco, produzindo um aerossol que permite ao fumador absorver apenas a nicotina. Por não haver combustão, dispensam-se assim as substancias mais aditivas e prejudiciais ao fumador regular.

ana-pires1Os serviços de atendimento estendem-se ainda à celebração de contratos e de pagamentos de telecomunicações e de energia, um serviço que se diferencia por garantir um espaço físico a alguns operadores que tinham como tradição a contratualização por telefone.

Contudo, a possibilidade para este desdobrar de serviços começou com uma inesperada “oportunidade” de alugar “a única loja” disponível para este ramo de negócio na nova área comercial em contexto retail, inaugurada em Julho de 2016 no concelho de Monção.

“Vi nesta loja a potencialidade para poder trabalhar outras áreas que não conseguiria implementar nas outras que já tinha. São serviços que, além de ter pouca oferta, são geralmente feitos por telefone e as não entendem nem confiam nos serviços propostos por telefone. O atendimento personalizado é muito importante e faz mais sentido, eu própria prefiro ir a uma loja do que ser atendida por telefone”, refere Ana Pires, proprietária das lojas EsqueçoPapel.

A localização privilegiada, no “único shopping” de dimensão no território fronteiriço do Vale do Minho, é também um ponto de partida para explorar outra vertente do negócio. Prestes a dar início a um projecto de elaboração e venda de pacotes de viagens, em parceria com uma empresa de expressão nacional, a nova loja do Rio Park funcionará também como agência para um tipo de oferta turistica que promete fazer a diferença. “Os espanhóis viajam muito mais, mas espero que os portugueses passem a viajar mais, e viajarão, com os nossos serviços. Teremos várias ofertas, mas procuramos criar soluções no distrito e para o distrito. Estão a ser criadas associações a que os comerciantes estão mais atentos. Procuraremos atrair gente, fazer pacotes promocionais, porque é isso que traz mais turismo. O turismo não é só vender viagens, é criar programa que as pessoas queiram realmente fazer”.

No que respeita ao franchising da marca EsqueçoPapel, Ana Pires esclarece que, neste caso, não são cobrados royalties.

Texto publicado na edição de 01 Outubro do jornal “A Voz de Melgaço”

riopark_projecto