Faleceu Jean Loup Passek, um amigo de Melgaço e “português de coração”

Faleceu hoje (4 de Dezembro), Jean Loup Passek, com a idade de 80 anos, um “português de coração” a quem o município de Melgaço deve uma das suas mais exclusivas iniciativas. Há mais de uma década, Melgaço inaugurava o Museu de Cinema Jean Loup-Passek, onde albergou parte do espólio de material relacionado com o cinema e a imagem em movimento, cedido pelo homem que lhe dá nome.

Recentemente homenageado com o título honorífico de Cidadão de Honra, o município melgacense perpetuará ainda o nome deste “amigo de Melgaço” nos prémios dos filmes em competição no Filmes do Homem – Festival Internacional de Documentário de Melgaço.

Foi quando filmava, no início da década de 1970 nos arredores de Paris, um documentário sobre a imigração, que Jean-Loup Passek entrou em contacto com vários membros da comunidade portuguesa, entre os quais se incluíam dois habitantes do concelho de Melgaço com quem viria a estabelecer laços de profunda amizade. Este encontro marcou o início de uma relação profunda com Portugal, que, com o correr do tempo, se viria a tornar numa segunda pátria.

ng7944691Ao longo de mais de um quarto de século de actividades no domínio do cinema, ao longo dos quais foi director editorial do “Dictionnaire Larousse du Cinéma”, conselheiro para o cinema do Centre Georges Pompidou, fundador e director do Festival de la Rochelle e coordenador da “Caméra d’Or” du festival de Cannes, Jean-Loup Passek coleccionou inúmeros objectos, testemunhos, documentos, raridades da Sétima Arte: mais de cem mil fotografias, milhares de cartazes, livros, um magnífico conjunto de aparelhos do período do designado pré-cinema.

Durante muitos anos sonhou com a fundação de um “museu sentimental” onde se pudesse apresentar a sua colecção . O apoio dos seus amigos portugueses e do município melgacense permitiram que o projecto se concretizasse, vindo a implementar-se sob o resguardo das históricas muralhas da vila de Melgaço.