Obras de requalificação da ETAR de Penso já arrancaram

Obras terão um custo de cerca de 750 mil euros

 

As obras de requalificação da ETAR da Zona Industrial de Penso já arrancaram.
O projeto pretende solucionar problemas de falta de capacidade da atual ETAR e estima-se que a nova unidade de tratamento irá receber um caudal máximo de 200 m3/d de efluentes industriais (vinícolas e outras indústrias) e um caudal médio de 300 m3/d de efluentes domésticos.
A requalificação da ETAR representa um custo total de 748.150,00 euros (Fundo de Coesão: 635.927,50 EUR).

Um dos problemas está relacionado com as adegas: instaladas fora da zona industrial, principalmente no período do ano dedicado às vindimas, deparam-se com o problema de encaminhamento do efluente de origem vinícola, uma vez que no concelho não existe uma estação de tratamento de águas residuais apta para efectuar o tratamento de efluente com as características próprias deste resíduo.

A ETAR em questão realiza o tratamento do efluente proveniente das instalações existentes na zona Industrial de Penso, assim como o efluente doméstico proveniente das habitações da freguesia de Penso e parte da freguesia de Alvaredo.

Além das unidades industriais instaladas nesta zona industrial, Melgaço caracteriza-se por ser um concelho onde as empresas ligadas ao sector vinícola predominam. As unidades industriais instaladas na zona industrial drenam directamente o efluente proveniente das suas instalações sanitárias para o colector geral de saneamento, no entanto têm que proceder a um pré-tratamento do efluente originado pela sua actividade, antes do encaminhamento do mesmo para a rede geral de saneamento, o que ocorrerá após a intervenção em causa, quer para as instalações da zona industrial quer para as restantes.