Jorge Ribeiro e António Barbosa asseguram “forte representação do Vale do Minho” na Comissão Política Nacional dos ASD

Decorreu no dia 4 de Fevereiro, na cidade da Guarda, o VIII Congresso Nacional dos Autarcas Social Democratas, onde foram eleitos os órgãos nacionais para o próximo quadriénio.

António Barbosa, Presidente da Câmara Municipal de Monção, e Jorge Ribeiro, deputado na Assembleia Municipal de Melgaço e membro da Assembleia Intermunicipal da Comunidade Intermunicipal do Alto Minho – CIM Alto Minho, foram os eleitos do distrito para aquela estrutura do Partido Social Democrata.

O autarca de Monção integra assim a Comissão Política Nacional, liderada por Álvaro Amaro (presidente da Câmara da Guarda), e Jorge Ribeiro, da Assembleia Municipal de Melgaço, foi eleito para o Conselho Nacional, órgão presidido por Tinta Ferreira, presidente da Câmara Municipal de Caldas da Rainha.

“Temos assim uma forte representação do Vale do Minho e do território da Sub-Região de Monção e Melgaço nesta estrutura autónoma do Partido Social Democrata”, realçam os eleitos em nota de imprensa.

Os subscritores desta estrutura do PSD, representativa dos militantes eleitos e em exercício de funções nos órgãos das autarquias locais, comprometem-se “no combate político pelo reforço do poder local e pelo cumprimento de um programa de transformação e modernidade que incorpore a nova geração de desafios colocados às autarquias em Portugal, num sentido de valorizar a função social do poder local democrático”.

Neste Congresso Nacional da ASD foi ainda aprovada a moção estratégica “+Portugal, Descentralizar para Mudar”, cuja “visão reformista” assenta em quatro eixos fundamentais, sendo dois relacionados com a reforma do sistema eleitoral para as autarquias e com a reforma do Estado e configuração dos poderes.

Os autarcas do PSD referem que o documento agora aprovado “assume o poder local como uma instância de verdadeira expressão democrática do poder com uma grande capacidade de decisão, porque mais próxima das populações e aponta no sentido do combate político pelo reforço do poder local e pelo cumprimento de um programa de transformação e modernidade que incorpore a nova geração de desafios colocados às autarquias”.