Dicionário Clínico: P – Próstata

O que é isso de ter a próstata grande?

 

A Hiperplasia Benigna da Próstata (HBP) é uma doença benigna, como o próprio nome indica, em que existe um aumento do volume da próstata.

A próstata é um órgão masculino que se localiza abaixo da bexiga e em torno da uretra (canal através do qual passa a urina e o esperma) e desempenha funções essenciais na produção do fluído espermático.

A patologia aqui espelhada é um problema mais comum em homens acima dos 50 anos em que começa a surgir um envelhecimento da próstata e o consequente aumento (hiperplasia) do seu volume. Quando esta aumenta pode surgir um estreitamento da uretra por compressão. Assim, a bexiga tem que fazer mais força para se esvaziar permitindo que urina consiga fluir através da uretra.

É neste contexto que começam a surgir os sintomas associados ao aparelho urinário inferior, em que no inicio há uma dificuldade em iniciar o jato urinário ou uma sensação de micção incompleta. Como explicado acima, a bexiga não se esvazia por completo e assim o número de idas a casa de banho tende a aumentar, sobretudo durante a noite. O volume e a força do jato urinário tendem a ser cada vez mais reduzidos e numa fase mais avançada da doença, a bexiga pode encher-se em excesso, provocando incontinência urinária. Se a obstrução da uretra for completa, a micção torna-se impossível, causando um quadro de dor abdominal aguda, muito intensa designada de retenção urinária.

O diagnóstico a HBP é feito através de alguns dados da história clínica e exame objetivo no qual se inclui o toque retal, mas também existem exames complementares que podem auxiliar a confirmação diagnóstica como são a avaliação do PSA e a realização de uma ecografia prostática. O PSA é uma molécula produzida pela próstata que se encontra aumentada em situações como a HBP, cancro e a prostatite. Deste modo, um PSA aumentado não é sinónimo de cancro mas deverá motivar a ida a uma consulta médica, para que possa ser definida a sua causa.

O tratamento é na maioria das vezes multifatorial. Há medicamentos que atuam no que respeita ao relaxamento dos músculos da bexiga, aliviando desde modo o obstáculo ao fluxo de urina e consequentemente os sintomas inerentes. Por outro lado, existem também medicamentos que atuam sobre o volume da próstata, dimnuindo-o e permitindo um importante alívio sintomático. A cirurgia surge também nas opções terapêuticas sempre que os sintomas interferirem muito com a qualidade de vida do doente. A cirurgia mais comummente realizada é a ressecção transuretral da próstata, na qual é introduzido um endoscópio pela uretra e é eliminada uma porção substancial da próstata e noutros casos tem que se enveredar por uma cirurgia mais invasiva (abdominal).

A escolha do tratamento adequado depende da sintomatologia, do volume prostático e da presença de complicações associadas à HBP, como as pedras na bexiga, infeções urinárias ou necessidade de algaliação por  retenção urinária. 

 O mais relevante a reter é que um diagnóstico precoce é importante, pelo que é necessário procurar consulta médica logo que surjam sintomas, para que a intervenção terapêutica seja mais precoce e eficaz. Assim consegue-se devolver qualidade de vida ao homem em questão e diminuir os seus constrangimentos.

Cuide de si e dos seus, nós somos os primeiros médicos de nós próprios.

Dra. Alexandra Táboas