Destaques do Mês: Edição de 01 de Março de 2019

No momento em que as notícias de ‘clickbait’ (de chamariz pelo título) dominam as partilhas nas redes sociais, começamos esta síntese de títulos do mês com uma notícia positiva que ilustra a capacidade de conquista da camada jovem melgacense: Depois de Banksy, Daniela Gonçalves volta a triunfar com “O ilustre álbum de Ramires”.

Já tínhamos destacado o trabalho da criadora e designer na edição anterior pela instalação de interacção com o público na exposição “Banksy’s, Dismaland and Others”, (na Alfândega do Porto até 31 de Março), mas Daniela Gonçalves voltou a destacar-se, desta vez no concurso nacional Aveiro Jovem Criador 2018.

Para acompanhar. Neste jornal… E em futuros trabalhos.

 

Parece que reina a paz sobre a questão ‘arrumada’ dos CTT em Melgaço, mas no plano político, a solução não é assim tão consensual. A entrevista aos gerentes da UKUBO, a empresa contactada para assumir a continuidade do serviço em Melgaço – agora enquanto Posto de Correios – não tranquilizou as frentes políticas activas no concelho.

No texto de opinião “Estação de Correios, Direita e Esquerda, e “O seu a seu dono”, publicado nesta edição, José Albano Domingues, da coligação “Prá Frente Melgaço (PSD-CDS), coloca alguns ‘pontos nos is’ em relação ao texto do deputado municipal Manuel Luís Gonçalves, publicado na edição de 01 de Fevereiro sob o título “Correios- Entre a Privatização e a Nacionalização”. O membro do Grupo Municipal do Partido Socialista fez uma resenha histórica sobre a privatização dos CTT e os que outrora lutaram contra a gestão privada deste serviço.

No entanto, o texto de José Albano Domingues faz uma análise a este tema e procura demonstrar que “ir além da troika” não é apenas uma crítica que, na história recente da governação central, caberá apenas à governação de Direita.

 

A ACR S. Tiago de Penso volta ao activo e quer reforçar as suas competências sociais e desportivas. Porque o associativismo deve ser premiado e reforçado, os projectos locais devem ser destacados. Um grupo de residentes da Freguesia de Penso reuniu-se para que a associação local não deixe a sua história suspensa. Tomam posse no próximo dia 10 de Março, quando certamente terão mais linhas orientadoras do que pretendem fazer. Boa sorte!

 

As netas de Maria Ernestina Sousa, com o apoio (e secretismo) da restante família e amigos, organizaram uma festa surpresa à avó por altura do seu 80º aniversário. Reuniram-se em restaurante local e recordaram histórias e trocaram-se abraços em torno de uma grande mesa. Recordamos o momento com algumas imagens, e em texto.

 

Se o vir de máquina em punho, possivelmente estará a renovar o portefólio de imagens para as redes sociais. Carlos Almeida leva Melgaço em imagens para todo o mundo e a comunidade emigrante vibra com as suas melhores perspectivas da terra natal.

Acompanhe as redes sociais do fotógrafo amador nas redes sociais, sobretudo no Facebook, e conheça um pouco mais da sua história e vontades, nesta edição.

 

Ministro da Economia visitou as obras de ampliação da Quinta do Soalheiro e elogiou a capacidade de fazer (bem) dos minhotos. Perante a considerável dimensão da obra, António Luís Cerdeira, enólogo e uma das caras mais conhecidas da marca, referiu que “fazer pequeno, seria muito mais caro”. E mostrou que o Alto Minho, apesar do seu minifúndio, também se pode associar e pensar em “grande”, ou à medida dos sonhos que podemos ter para o território.

Outra visita com direito a elogios: Secretário de Estado do Ambiente visitou Melgaço e elogiou meta “auspiciosa” do concelho nos serviços básicos. Depois de visitar as obras de instalação de saneamento na Freguesia de Paços e inaugurar a ampliação da ETAR de Penso, Carlos Martins recordou que, “há 40 anos, apenas 3% da população portuguesa tinha tratamento de esgotos”.

 

A Real Confraria de São Teotónio voltou a Melgaço e ao seu templo Capitular, em Cevide, para entronizar novos confrades. Uma cerimónia que contou ainda com desfile pelas principais ruas da vila.

Por último, mas não menos importante, uma reflexão assinada pelo Consultor e Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Melgaço, Jorge Ribeiro: “O abandono do interior um problema, mas agora vamos jantar”. Esperamos que este título (que não é clickbait, como referido no início deste texto) suscite o seu interesse.

Boas leituras!