De Cevide a Faro pela Route 66 portuguesa

Dois dias e meio de uma aventura motard

 

De passaporte no bolso e uma enorme vontade de concretizar uma viagem combinada “há alguns anos”, quatro amigos decidiram que era hora de atravessar o mapa de Portugal em duas rodas.

A missão era fazer a totalidade daquela que é a terceira maior estrada do mundo, a seguir à Route 66 (EUA) e à Ruta 40 (Argentina): A Estrada Nacional (EN) 2, que atravessa o país de uma ponta à outra, de Chaves a Faro.

Em Melgaço

São 738 quilómetros de estrada a que os quatro aventureiros – Abel Marques, Michel Gonçalves, Alexandre Meleiro e Albino Palharesdecidiram adicionar mais 140, por afinidade geográfica mas também porque o país começa em Cevide (Melgaço) e não em Chaves. Mas a EN 2 é assim, só adiciona patriotismo à rota quem quer e pode.

 

No dia 24 de Junho, pelas 8 horas da manhã, as quatro motos – duas BMW, uma Suzuki e uma Triumph – já aqueciam os motores no ponto de partida, em Cevide. Debaixo de chuva (a mesma que nos protegeu da canícula que assolou França e grande parte dos países europeus) os quatro amigos foram cumprindo os check-points a que o passaporte amarelo obriga. O documento tem de ir sendo carimbado ao longo do trajecto, o que implica inúmeras paragens, já que atravessa 35 municípios do interior.

Com as missões e contratempo meteorológico, que acinzentou a paisagem aqui e ali, o grupo cumpriu em dois dias e meio a rota turística que mostra muita da beleza da paisagem de uma nação de contrastes. E na viagem de regresso, pelo interior, a meteorologia brindou-os com um ar de Verão.

João Martinho
(texto publicado na edição impressa de 01 de Julho do jornal “A Voz de Melgaço”)

Marco Nº1 em Cevide (Melgaço)