Entre o 4 e os 10 euros. Autarquia tem de comprar mais de cem parcelas para avançar 1ª fase da Zona Industrial de Alvaredo

 

A autarquia prevê levar à aprovação em Assembleia Municipal do próximo mês de Setembro o Plano de Urbanização para o futuro parque empresarial de Alvaredo. O projecto de execução da primeira fase da implementação do projecto já está a ser acompanhado por todas as especialidades e “praticamente pronto para ser aprovado em reunião de Câmara”, garantiu o autarca de Melgaço, Manoel Batista.

O período de candidatura a fundos já abriu, no entanto o edil de Melgaço assegura que a autarquia tem orçamento para levar a efeito a compra das parcelas que estão dentro da área a considerar para a fase 1 do parque industrial.

“Estamos a proceder à aquisição das parcelas, cerca de 106, para esta primeira fase. O departamento jurídico já entrou em contacto com todos os proprietários das parcelas que incorporam essa primeira fase. Por uma questão de cautela estamos a fazer a declaração de Utilidade Publica, que poderá, no limite, permitir a expropriação, mas aquilo que pretendemos é garantir a posse, conversar com todos os proprietários para fazermos a negociação directa com cada um dos proprietários”, notou Manoel Batista, adiantando que há, até ao momento, “entendimento com quase todos em relação aos valores de aquisição”.

primeira fase da Z.I. Alvaredo

 

Sobre os valores de aquisição, depois da primeira negociação com resultados positivos para os proprietários dos terrenos, que viram o preço por metro quadrado ter uma valorização significativa em relação ao valor de partida, que era de 2,5 euros, para os 4 euros m2, há especificidades que convém esclarecer.

“Quatro euros é o valor de referência para praticamente todos os terrenos. Alguns têm uma valorização diferente, como é o caso dos que tem vinha plantada, em que a valorização andará perto dos dez euros por metro quadrado. Mas é um valor específico para alguma situações”, frisou o presidente da Câmara.

(…)

João Martinho


(texto publicado na edição impressa de 01 de Julho do jornal “A Voz de Melgaço”