Minho é líder nos principais indicadores de crescimento turístico do país

 

Os números apresentados pelo consórcio Minho IN – que integra as comunidades Intermunicipais do Alto Minho, Cávado e Ave e engloba os vinte e quatro municípios do Minho – por altura da Bolsa de Turismo de Lisboa BTL) 2019, dão nota de uma série de recordes para a região.

Além de uma procura turística com um ritmo de crescimento superior à média do país, o Minho tem muitos outros números de interesse para visitantes e locais, que certamente significarão mais e incentivarão à descoberta. Afinal, mais importante do que saber que a região minhota tem interesse para quem visita, é sentir que os que nele vivem se orgulham do seu território e o conhecem como ninguém.

O Minho INovação apresentou números e potencialidades turísticas da região daqueles que são os principais produtos do território, nomeadamente, no que respeita à Natureza, Património, Arte & Cultura e Sabores.

Natureza

O Minho integra no seu território o único Parque Nacional do País (Parque Nacional da Peneda Gerês) e a Reserva Mundial da Biosfera, abrangendo ainda diversos territórios classificados com a Carta Europeia de Turismo sustentável e o Top 100 – Sustainable Destinations.

O Minho tem 51,5 quilómetros de costa litoral e é atravessado pelos principais rios: Minho, Lima, Cávado e Ave; possibilitando a prática de um vasto conjunto de atividades náuticas e de natureza.

Património, Arte & Cultura

O Minho tem mais de 100 monumentos nacionais classificados. Ou seja, sensivelmente os mesmos monumentos nacionais classificados que tem a Área Metropolitana de Lisboa e cerca do dobro de monumentos nacionais classificados da Área Metropolitana do Porto.

No Minho encontram-se 3 das 14 aldeias portuguesas mais emblemáticas, seleccionadas como finalistas do concurso “7 Maravilhas de Portugal – Aldeias”.

No Minho existem 8 dos 14 produtos de artesanato certificados a nível nacional.

Sabores

O Minho tem uma tradição enogastronómica baseada, quer nos seus vinhos verdes, quer em múltiplos pratos confeccionados a partir dos principais recursos do território. Existem neste território 13 restaurantes referenciados no Guia Michelin 2019.

Economia ligada ao turismo

Os dados divulgados no Anuário do Instituto Nacional de Estatística (INE) dão também números animadores para o território minhoto, estabelecendo inclusive novos recordes no sector do turismo.

O Minho atingiu pela primeira vez 1,1 milhões de hóspedes, 2 milhões de dormidas e 66 milhões de euros em proveitos de aposento, apresentando ritmos de crescimento da procura turística superiores a Portugal e à Região do Norte.

As NUT III do Minho (Cávado, Alto Minho e Ave) voltaram a ocupar a 2ª, 3ª e 4ª posições com maior procura turística, respectivamente, logo a seguir à Área Metropolitana do Porto.

O Minho foi o segundo subdestino turístico da Região de Turismo Porto e Norte de Portugal com 22,3% das dormidas na referida NUTS II. O Minho, juntamente com o subdestino Porto, representam quase 91% das dormidas na Região de Turismo Porto e Norte de Portugal.

 

João Martinho