Voltaram as noites longas das Termas: Melgaço estreou o único festival em que a bebida “oficial” é Alvarinho

A primeira edição e primeira noite do Festival Nature Melgaço abriu com a temática White Nature, onde o dress code primou pelas cores brancas.

O centenário e solene edifício da fonte principal das Termas de Melgaço transforma-se, durante este fim-de-semana (11 e 12 de Outubro), num inusitado espaço de festa moderna e amiga da natureza. A primeira noite começou com uma sessão de esclarecimento sobre a comida saudável e um welcome cocktail, organizado por Cláudia Albite, em torno da bouvette existente no centro do edifício da fonte.

Mas a festa vive-se um pouco por todo o parque do complexo termal. No espaço adjacente à fonte principal e parque junto ao Bar das Termas principal há sete produtores de Alvarinho de Melgaço que se associaram ao evento, dando à prova o néctar “oficial” do evento.

Além destes, há tasquinhas com sugestões para que a componente gastronómica acompanhe o saborear dos vinhos, criando assim um espaço autónomo para que os festivaleiros se possam divertir e permanecer desde a abertura até ao fecho de portas.

A arquitectura da improvisada sala de festas proporcionou um cenário que cruza a modernidade com o revivalismo histórico, e talvez por isso – embora não recuando no tempo até aos anos vinte do século passado – a noite tenha atingido o seu pleno e agrado das centenas de participantes no momento Forever 80’s, já depois da meia-noite.

Hoje, 12 de Outubro, a tarde e noite é de temática Hippie Chic, com o DJ Rui Cabanelas a abrir o segundo dia do festival, às 17 horas.

Das 21 às 22, Miguel 7 Estacas, tal como no primeiro dia, volta a subir ao palco, acompanhado de amigos, até ás 22 horas. Entre as 23h30 e a meia-noite, DJ Charlie (O Son da Muralla) toma conta do som da festa, preparando a madrugada para o revivalismo Forever 80’s.

“No início não estava pensado para ser um festival, era para ser uma noite única, mas dada adesão e o carinho que os produtores de Alvarinho nos deram, chegamos ao que se vê. Para primeiro ano está uma produção muito boa, fomos arrojados”, explicou Joaquim Vieira dos Santos, director do Festival Nature Melgaço.

O festival amigo da natureza, com pretensões a nível da promoção da boa alimentação, da ecologia e do ecoturismo é de ambições a longo prazo e quer aumentar já em 2020 de dois para três dias de festa e “com um ‘line-up’ de artistas ainda melhor”, sublinhou o director do festival.

Os espanhóis, pela sua “vontade festiva”, representaram metade dos bilhetes vendidos nesta primeira edição. Melgaço, por sua vez, representa a menor margem de festivaleiros (20%), considerando apenas as entradas vendidas antes do evento. “Temos uma percentagem de adesão na ordem dos 20% de Melgaço, 30% de Monção e Valença e 50 % de Espanha. Vendemos muito mais em Espanha do que em Portugal”, notou Joaquim Vieira dos Santos. Assim, no evento em que “a bebida oficial é o Alvarinho”, a festa faz-se em comunhão cultural com a vizinha Galiza.

Os bilhetes para a noite de hoje (12 de Outubro), podem ainda ser comprados na Loja Interactiva de Turismo e nos restantes pontos oficiais de venda.

João Martinho