Histórico Fiat 127 da família Soalheiro “cumpriu a sua missão” no Rali à Lampreia 2020  

A Chuva que se fez sentir ao longo do fim-de-semana do Rali à Lampreia, nos dias 29 de Fevereiro e 1 de Março, “não deu tréguas” nem permitiu o melhor desempenho do Fiat 127 que representou a Quinta de Soalheiro nesta competição.

O carro pilotado por Sofia Mouta “cumpriu a sua missão”, terminando a prova em 41º lugar entre mais de meia centena de inscritos, apesar de ser “o motor menos potente” na prova de perícia que decorreu na Praça Deu-la-Deu, em Monção, como observou a piloto no rescaldo do evento, em publicação partilhada no Facebook.

“O teste já foi feito e agora espero que a Soalheiro desfrute deste mítico carro! Obrigada por mais uma vez me confiarem o vosso carro e obrigada à Jalcar Motorsport por toda a ajuda e apoio!”, Referiu Sofia Mouta na mesma publicação.

Recorde-se que a marca Soalheiro competia com um Fiat 127 que está na família desde 1974. Depois de recuperado e ostentando em destaque o ano de 1982, as duas datas encerram dois momentos especiais para o produtor: A primeira vinha contínua de Alvarinho foi plantada em 1974, por João António Cerdeira, e a primeira marca de Alvarinho em Melgaço – Soalheiro – nasceu em 1982.

A experiência competitiva foi confiada a Sofia Mouta, “uma mulher que adora a competição automóvel” e que representou, pelo segundo ano consecutivo, as cores do Soalheiro nesta prova que permite afirmar a importância da região da Origem do Alvarinho (Monção e Melgaço).

Na edição do ano passado, a piloto venceu no escalão feminino, com o melhor tempo.