Destaques da edição de Abril de 2020 do jornal “A Voz de Melgaço”

Imagem em destaque retirada do video publicado na página “Melgaço Sempre” (Paulo Oliveira)

***

Começamos Abril da forma possível, em estado de alerta, na expectativa que a matemática nos ajude e as previsões também. A pandemia COVID-19 está aí, em crescendo e, pelo que vimos até agora, pode também tocar a todos. É um “inimigo” contra o qual não sabemos lidar sem ser… escondermo-nos dele. Desta vez não temos (ainda) armas para o combater.

O vírus, além de nos poder atacar o organismo, está já a ‘infectar’ a economia. A dimensão da cicatriz económica dependerá de quanto tempo iremos precisar para a cura.

Para já, e como analisamos no texto sobre o tema do momento, “A Europa está fechada” e a economia em suspenso também em Melgaço”. A pandemia COVID-19 foi um ‘balde de água fria’ num ano que estava a ser “extraordinário” para o turismo e vinhos, como nos confessou o presidente da Câmara de Melgaço, Manoel Batista.

“O município estava a crescer lindamente do ponto de vista do turismo, por isso queremos continuar a fazer esta comunicação para que, no momento em que estejamos a virar a página, comecem a ser colocados no terreno os investimentos como o do Hotel do Peso e outros. No final deste processo estaremos ainda mais fortes. Recentemente, tive a oportunidade de conversar com empresários que disseram que o primeiro trimes­tre de 2020 estava a ser extraordinário para o turismo e os vinhos”, notou.

 

 

Como já foi avançado, os concelhos do Alto Minho suspenderam até ao dia 30 de Junho “qualquer licença para festas, romarias e eventos equiparáveis que decorram até final do mês de Junho, face aos graves riscos de saúde pública asso­ciados à propagação da pandemia do COVID-19 no Alto Minho. E cuidado também neste período pascal, pois mesmo não havendo compasso, poderá haver tendência para reunir membros da família e… vindo a registar-se um caso positivo, terão todos de cumprir o período de quarentena.

 

A nível nacional, um estudo indica que os portugueses confiam nos profissionais de saúde e no Governo, mas temem falência económica e pedem medidas mais concretas. Veja os resultados.

 

Por cá, e na área do desporto, além da interdição na realização de qualquer treino desportivo em equipa, a pandemia interrompeu também a jornada do SC Melgacense rumo à vitória.

O ano era de franca mudança na vontade desportiva do clube, mas o mais provável é que o campeonato e o sonho do SC Melgacense fiquem como o do país, da Europa e até do mundo: suspenso até Setembro, no melhor dos ce­nários. E podendo fazê-lo já em Setembro de 2020, será uma vitória para o desporto, para a saúde mundial e para o civismo de toda a população que ‘fintou’ o vírus sem sequer conhecer a cura.

 

“Macau, onde vivo e trabalho há 25 anos, conseguiu curar os dez casos de corona­virus que aqui apareceram e está há mais de um mês sem qualquer caso positivo. Está aqui um bom exem­plo para Portugal seguir, tomando as medidas que são necessárias”, conta-nos Armindo Vaz no texto “O Coronavirus pode ser vencido. Mas é preciso coragem e auto-disciplina”. Um relatório de um caso de sucesso que vale a pena ler.

 

“O Cantinho da Bé” foi um dos últimos espaços do conceito Pop-Up a serem abertos no âmbito do projecto Urbact e agora, mesmo de portas fechadas, continuou a trabalhar e colocou até o artesanato e a criatividade ao serviço da prevenção contra o COVID-19.

Eduarda Nabeiro interrompeu momentaneamente a criativida­de nos tecidos e os inúmeros trabalhos pendentes para “fabricar” máscaras de protecção facial – tão requisitadas mas em falta hoje em dia – para as funcionárias do Centro de Dia e Apoio Domiciliário do Centro Paroquial de Chaviães.

 

Conhecida pelo seu produto, ideologia de mercado e trabalho, mas também pela forma de comunicar, a marca Soalheiro mostrou que é possível aprender a provar bons vinhos, mesmo sem sair de casa.

Para não lhe interromper o recolhimento, criou a prova digital, que lhe permitirá a descoberta de três estilos de vinhos em casa, também mostra novidade e incentiva os consumidores a adquirirem no comércio local ou através de lojas especializadas na internet já existentes.

Estes são alguns dos destaques da edição de Abril do jornal “A Voz de Melgaço”, mas estamos certos de que, ao longo das 36 páginas, irá encontrar outros assuntos de interesse. 

Boas leituras e não se esqueça: Se puder… fique em casa.