VentoMinho renova apoio de 100 mil euros à arte das Comédias do Minho

A empresa de energias renováveis, que tem apoiado desde 2006 o projecto das Comédias do Minho, renovou para o presente ano – e pelo 15º ano consecutivo – o seu contributo para o grupo que promove a cultura e o espectáculo no Vale do Minho.

O valor anual deste apoio à cultura, de cem mil euros, por parte da VentoMinho, “procura retribuir ao território, onde tem implantados os seus parques eólicos, parte da riqueza que gera”, explicam em comunicado.

“Ao abrigo da Lei do Mecenato, ao apoiar este projeto, a empresa Ventominho, juntamente com as outras empresas do grupo Empreendimentos Eólicos do Vale do Minho, estão a contribuir para o desenvolvimento sustentável da região do Alto Minho, não apenas na sua vertente económica, mas também na sua dimensão cultural”, salientam ainda no mesmo documento.

 

“Hoje, muito especialmente neste contexto difícil, importa valorizar este compromisso da VentoMinho porque ajuda a fortalecer um projecto cultural, que é único no território e ímpar no país. Esta valorização é tão mais gratificante porque é marcada pelos gestos felizes e responsáveis de uma empresa que tem um compromisso e uma relação com o território”, congratula a equipa das Comédias do Minho, que viu alguns dos seus espectáculos itinerantes suspensos face à pandemia COVID-19.

 

“A continuidade desta colaboração, entre a VentoMinho e as Comédias do Minho, contribui para o reconhecimento alcançado, que é um exemplo da nova centralidade cultural que queremos e desejamos para o país”.

 

As “Comédias do Minho” – Um projecto artístico que vai muito além do teatro

As Comédias, como são conhecidas no território, é agora um projecto artístico que se desenha e articula em três eixos: a Companhia de Teatro, O Projecto Pedagógico e o Projecto Comunitário. A Companhia continua a levar o teatro às aldeias, com itinerâncias de vinte apresentações por espectáculo, que podem ter lugar num Cineteatro, numa Junta de Freguesia ou numa aldeia abandonada.

O Projecto Pedagógico abrange todas as escolas do território, tornando impossível que uma criança ou jovem em idade escolar, do Vale do Minho, não seja tocado pela sua programação regular. Espetáculos, formações e oficinas são pensados para todos: alunos, professores, crianças e famílias.

O Projecto Comunitário tem como núcleo de actividade cinco grupos de teatro de amadores, dirigidos pelos actores residentes da Companhia e que, anualmente, desenvolvem novas criações. Este eixo vive também da estreita relação entre as Comédias do Minho e as associações culturais do território, num trabalho contínuo de relação e proximidade.

 

Ventominho

A Ventominho – Energias Renováveis, S.A é proprietária do Parque Eólico do Alto Minho I, constituído por 130 aerogeradores, que perfazem uma potência instalada de 263 MW, distribuídos por cinco sub-parques – Picos, Alto do Corisco, Santo António, Mendoiro-Bustavade e Picoto-São Silvestre – entre os concelhos de Arcos de Valdevez, Melgaço, Monção, Paredes de Coura e Valença, abrangendo 18 das suas freguesias.

O Parque Eólico do Alto Minho entrou em exploração em 2008, produzindo anualmente, em média, cerca de 600 GWh de eletricidade de origem eólica, o equivalente a cerca de 55% do consumo de eletricidade no distrito de Viana do Castelo. 

Com esta produção de eletricidade de origem renovável são evitadas aproximadamente 250 mil toneladas/ano de emissões de CO2 para a atmosfera, contribuindo deste modo para o cumprimento dos objetivos nacionais em matéria de redução de emissões de gases de efeito estufa e de neutralidade carbónica.

A Ventominho é uma empresa detida em 100% pela EEVM (Empreendimentos Eólico do Vale do Minho, S.A), empresa esta fundada em 2001 na sequência de um concurso público internacional, promovido em 1999 pela Associação de Municípios do Vale do Minho, para selecionar o promotor de parques eólicos neste território.

A EEVM detém também em 100% a Empreendimentos Eólicos da Espiga, S.A., com sede em Caminha, onde tem instalados o Parque Eólico da Espiga e o Parque Eólico de Arga com, respetivamente, 6 MW e 40,7 MW de potência instalada. No concelho de Vila Nova de Cerveira, a EEVM participa em 85% na Empreendimentos Eólicos Cerveirenses, S.A., empresa proprietária do Parque Eólico de São Paio, com 10 MW de potência instalada.

A EEVM tem como acionistas a Finerge e a EDF EN Portugal, ambas empresas líderes na produção de eletricidade de origem renovável em Portugal, detidas pelo Fundo First State Investiments e EDF-Électricité de France, respetivamente.