+CO3SO Emprego: Candidaturas no Vale do Minho excedem valor a concurso em mais de 7 milhões de euros

A corrida ao programa do Governo que promove o incentivo ao emprego no interior do país excedeu largamente os valores atribuídos para a primeira fase de candidaturas.

Melgaço recebeu a apresentação do programa de apoios lançado pelo Governo no mês de Junho, com a presença da Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa e a Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, e o Vale do Minho acabou por sair melhor do que a encomenda.

O Grupo de Acção Local (GAL) para o território fronteiriço, gerido pela ADRIMINHO [Associação de Desenvolvimento Rural Integrado do Vale do Minho] recebeu um total de 95 candidaturas para as três vertentes do programa, visando a criação de 194 postos de trabalho.

Por áreas de acção, o +CO3SO Emprego Interior recebeu 64 candidaturas, o +CO3SO Emprego Urbano recebeu 24 candidaturas e o +CO3SO Empreendedorismo Social obteve apenas 7 candidaturas.

No entanto, os montantes atribuídos para o território na primeira fase estão muito aquém das propostas recebidas. Recorde-se que, da dotação de 90 milhões de euros destinados a este programa para todo o país, a região Norte tem atribuído um envelope de incentivos na ordem dos 23 milhões de euros. Destes, o Vale do Minho tem uma verba destinada de 1.087.216,32€.

Em período de encerramento da primeira fase do programa, as contas da ADRIMINHO vão já muito para lá do milhão. O GAL contabiliza um montante previsto, considerando o total das candidaturas submetidas, na ordem dos 8,6 milhões de euros.

Especificando mais uma vez as áreas de acção, o grupo coordenador do Vale do Minho recebeu, para a ferramenta de apoio +CO3SO Emprego Interior, um volume de candidaturas para um valor previsto de 5.558.528,02€ (o valor a concurso tem um tecto de 400.000,00€); para o +CO3SO Emprego Urbano, um total previsto de 2.407.485,32€ (valor a concurso – 287.216,32€) e para o +CO3SO Empreendedorismo Social um total de 661.794,94€ (valor a concurso de 400.000,00€).

À altura da apresentação do programa, a Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, já admitia eventual necessidade de reforçar o programa com mais financiamento, o que, face à expressão dos números, acabará por acontecer.

“De acordo com as informações da Sra Ministra da Coesão Territorial e tendo em conta o sucesso do programa, está a ser estudado o reforço no sentido de conseguir apoiar aquelas [candidaturas] cujo mérito seja elevado e que se enquadrem na Estratégia de Desenvolvimento da DLBC Rural da ADRIMINHO”, indica Ana Paula Xavier, Coordenadora da Equipa Técnica Local da ADRIMINHO, a este jornal.