Futebol Distrital: SC Melgacense regressa à 1ªDivisão e reforça plantel com nove contratações


Texto: João Martinho || Fotos: SC Melgacense


Época começa a 4 de Outubro sem público nas bancadas… mas com transmissão online

 

A época desportiva 2020/21 do campeonato distrital da Associação de Futebol de Viana do Castelo (AFVC) dá o pontapé de saída a 4 de Outubro e o SC Melgacense estreia-se no regresso à 1ª Divisão com um jogo em casa frente à AD Ponte da Barca.

Posto o essencial, acaba no primeiro parágrafo a ilusão da normalidade no início do futebol distrital. O encerramento abrupto das competições em Março deste ano, devido ao surto pandémico, deixou ainda água pela barba para o clube de Melgaço no que respeita a uma subida de divisão que estava a fazer por merecer em campo, mas que ainda se sujeitou a diálogos e entendimentos diversos desde então.

Reposta a justiça e as contas da tabela, a época que agora inicia vem com um ‘kit’ especial de protecção. Não é por aqui que se apanha Covid-19, senão vejamos: Não é permitida ainda a presença de público nas bancadas, o que obriga os clubes a procurarem soluções para transmissão dos jogos via redes sociais ou outras plataformas de streaming para fazer chegar o espectáculo aos adeptos.

A AFVC comunicou, em decisão tomada com acordo dos clubes e “de modo a atenuar os efeitos de possíveis adiamentos provocados pela Covid-19”, a divisão dos clubes em duas Séries. Assim, a equipa sénior do SC Melgacense vai integrar a Série A da 1ª Divisão Distrital na primeira fase da época. Nesta fase, o clube de Melgaço disputará os primeiros lugares da sua série com nove das dezoito equipas que competem na 1ºDivisão, entre elas as equipas vizinhas do Desportivo de Monção e o SC Valenciano.

Os três primeiros classificados de cada Série disputarão na 2ª Fase o apuramento de campeão e subida e os três últimos competirão na segunda fase a fuga à descida de divisão. O 4º, 5º e 6º classificados de cada Série disputarão uma Taça, juntamente com os clubes da 2ª Divisão.

O SC Melgacense, já com o plantel fechado, revê os feitos do passado e prepara os trunfos para voltar a ficar bem no relvado. Apresenta-se a jogo com um plantel de 22 jogadores, entre eles 13 renovações e 9 contratações.

Para nos falar do propósito para a época que agora se inicia falamos com Paulo Almeida, o treinador que encabeça uma equipa técnica que caiu em graça e veio para ficar na luta pelo nome e prestigio dos atletas que vestem a camisola de Melgaço.

 

A Voz de Melgaço (AVM) – Satisfeito com o trabalho feito até ao momento da interrupção da época desportiva transacta?

Paulo Almeida (PA) – Se dissesse que não estava satisfeito, estaria a mentir. Quando o director desportivo, Leiva Morais, me convidou para treinar o Melgacense, procurei inteirar-me da realidade do clube enquanto organização e equipa de futebol. Na altura, senti (e acabei por confirmar) que em termos de organização, o clube estava no bom caminho. Desportivamente falando, senti que era urgente voltar a conquistar o respeito dos adversários. Com muito trabalho e sacrifício fomos incutindo aos jogadores alguns valores que defendemos e que nos iriam ajudar no rendimento. Acho que estávamos no bom caminho…

AVM – Há uma série de contratações (9). Estas chegadas foram também escolha sua? É um aperfeiçoamento do plantel nos sectores que eventualmente poderiam estar mais fragilizados?

PA – As renovações com grande parte do plantel são a prova de que o trabalho na época passada estava a ser bem feito e uma prova inequívoca de que acredito e confio neles. Naturalmente que, nas mudanças de épocas, existem entradas e saídas nos plantéis e no nosso caso não foge à regra. Escolhemos os jogadores que queríamos e que muito apreciamos e, estamos convictos, de que estas entradas, irão criar uma sinergia muito positiva em todo o grupo de trabalho.

AVM – Sente que a estabilização e novo impulso desportivo do plantel sénior merece agora uma redobrada atenção dos melgacenses, num período atípico em que não é permitido público nas bancadas?

PA – Sinceramente, mesmo com esta contrariedade da não presença de público nos estádios, que é transversal a todos os clubes, sinto que os nossos adeptos continuam com a equipa e estão expectantes para a nova época. Parece-me que neste momento, a melhor ferramenta para atenuar esta “separação” entre a equipa e os adeptos terá de ser a comunicação de dentro para fora. Quem gere esse tema, tem tido o cuidado em manter os adeptos informados no que diz respeito à actualidade do clube. A transmissão dos jogos da equipa, em directo nas redes sociais, também me parece uma boa opção.

AVM – Expectativas para a época 2020/2021?

PA – Vamos procurar dar continuidade ao trabalho realizado, sempre com grande sentido de responsabilidade e com os pés bem assentes no chão no que diz respeito àquilo que foi o propósito que me trouxe até aqui: tentar ajudar os jogadores a crescer e credibilizar o clube, dentro da minha competência enquanto técnico. Depois, é desfrutar de cada treino e de cada jogo à procura do melhor resultado possível. Certamente, iremos ter jogos bons e outros menos bons, mas isso faz parte do futebol.

Contratações para a época 2020/2021

Renovações