MDOC 2021: 5 dias, 31 histórias do mundo que passam pela Casa da Cultura até 8 de Agosto

 

A sétima edição do MDOC – Festival Internacional de Documentário de Melgaço, decorre de 2 a 8 de agosto e este ano o Prémio Jean Loup Passek conta com 31 documentários a concurso. 19 longas-metragens e 12 curtas e médias metragens, em que 9 dos documentários selecionados concorrem também na categoria de melhor documentário português. Todos os filmes concorrem também ao Prémio D. Quixote, atribuído pela FICC – Federação Internacional de Cineclubes.

O MDOC abre ainda, pela primeira vez, um concurso de cartazes de filmes de produção portuguesa ou galega, com data de produção posterior a 1 de janeiro de 2018.

Além do Prémio Jean Loup Passek, a programação inclui o curso de Verão Fora de Campo, as residências Cinematográfica e Fotográfica Plano Frontal, exposições, apresentação de filmes e ainda debates com vários realizadores nacionais e internacionais. É de destacar que durante a semana também vai decorrer a oficina de Verão TRABALHO, lecionada pelo realizador Pedro Costa, que resulta de uma colaboração com La Plantación – Encuentros e Conocimiento. O MDOC acontece com a maioria das atividades presencialmente, respeitando todas as regras da DGS.

O projeto Quem Somos os Que Aqui Estamos apresenta este ano os resultados do trabalho produzido nas freguesias de Castro Laboreiro e Lamas de Mouro. À semelhança dos anos anteriores, uma equipa da AO NORTE, entidade organizadora do festival, tem produzido um estudo minucioso sobre as gentes de Melgaço, focando-se a cada ano numa parte do território do município. Coordenado por Álvaro Domingues e produzido por Rui Ramos, conta com a colaboração de Albertino Gonçalves, do antropólogo Daniel Maciel, do fotógrafo João Gigante e da equipa de audiovisual composta por Carlos Eduardo Viana, Miguel Arieira e Daniel Deira. O projeto conta ainda com um trabalho da realizadora Tânia Dinis.

Arquitectura popular em debate no 25º aniversário do Dia do Brandeiro

Nesta sétima edição, o MDOC vai associar-se à comemoração do 25º aniversário do Dia do Brandeiro, festa que celebra a transumância e é uma homenagem aos construtores da comunidade agropastoril da Branda da Aveleira. O programa inclui a projeção de um documentário, um debate sobre arquitectura popular com a participação dos arquitectos António Menéres e Fernando Cerqueira Barros, do geógrafo Álvaro Domingues e de José Rodrigues Lima, o grande impulsionador desta celebração, uma visita à Branda da Aveleira e a inauguração de duas exposições do fotógrafo Luís Miguel Portela.

O MDOC Festival Internacional de Documentário de Melgaço é organizado pela AO NORTE – Associação de Produção e Animação Audiovisual, em parceria com a Câmara Municipal de Melgaço. Desde 2014 que o festival pretende promover e divulgar o cinema etnográfico e social, refletir sobre identidade, memória e fronteira e contribuir para um arquivo audiovisual sobre a região.

Consulte o programa completo AQUI.