Misericórdia de Melgaço assinalou 504º aniversário com apresentação de projecto turístico inovador (c/imagens 3D)


João Martinho


No mês de Julho, a Santa Casa da Misericórdia de Melgaço assinalou os 504 anos de compromisso com a comunidade melgacense com inaugurações, apresentação de novos projectos e um olhar especialmente atento ao património artístico da instituição.

Foram oficialmente inauguradas as obras de requalificação do edifício da infância que acolhe a creche e o Jardim de Infância, em cerimónia que contou com a presença do Presidente da União das Misericórdias Portuguesas, Manuel de Lemos, do presidente da Câmara Municipal de Melgaço, Manoel Batista, das vereadoras Maria José Pinho e Maria José Dias, dos Provedores de Misericórdias do distrito, além de membros dos órgãos sociais da instituição,

Um dos momentos altos das comemorações do 504º aniversário da Misericórdia melgacense prendeu-se com a primeira apresentação do projecto de revitalização do Solar de Eiró, uma das emblemáticas e históricas obras da instituição, que poderá ver revalidada a sua missão, agora no sector do turismo.

O Solar de Eiró, “edifício de valor histórico” onde surgiu a primeira das respostas de lar para idosos da Misericórdia de Melgaço, estava abandonado e já sem enquadramento na área social, que na última década implementou e inaugurou património modernizado e vocacionado para a área social.

“Temos dois edifícios novos ou renovados para a infância, dois lares, portanto não temos ali nenhum projecto na área social propriamente dita. Por outro lado, temos a questão da sustentabilidade. Se conseguíssemos aliar um projecto que nos permitisse recuperar aquele património e gerar alguma rentabilidade para nos ajudar a financiar as actividades sociais, seria o ideal”, notou o Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Melgaço, Jorge Ribeiro.

Visando adaptar o património histórico edificado para a sustentabilidade da instituição, a Misericórdia melgacense construiu uma proposta destinada à criação de uma unidade hoteleira com 18 módulos tipo T1 que prevê aumentar a oferta de 18 a 20 camas na hotelaria do concelho.


Texto completo na edição impressa de Agosto do jornal “A Voz de Melgaço”