Dicionário Crónico: T – Transportes [A viagem do senhor Cachapa, de Castro Laboreiro ao Dr. Faro]

T – Transportes | O senhor Cachapa, de Castro Laboreiro ao Dr. Faro

 

Se o senhor Alberto Cachapa (estou a tentar que sejam nomes fictícios) de Castro Laboreiro quiser ir a uma consulta de oftalmologia ao Hospital Santa Luzia (Viana do Castelo), com o doutor Faro às 10 da manhã, só tem uma opção: Ou tem um filho a morar na vila de Melgaço ou é rico.

Antes que chegue o prometido e revolucionário plano para a rede de transportes públicos, a lançar pela CIM Alto Minho para o distrito de Viana do Castelo, o senhor Cachapa tem isto:

A Mobilytour – Viagens & Turismo, que assegura duas das três carreiras publicas no concelho de Melgaço, parte diariamente (durante o período escolar) de Castro Laboreiro às 8h05 da manhã. Se Cachapa tiver um amigo de São Gregório que queira acompanhá-lo na viagem, pode apanhar a carreira da mesma transportadora que sai do largo junto à Alfândega às 8h20. Chegam ao Centro Coordenador de Transportes, tomam um café com cheirinho (o senhor Cachapa não, que tem consulta de oftalmologia e não convém ‘trocar os olhos’ tão cedo) e avaliam as possibilidades para Viana.

Começam os problemas: Dois expressos Melgaço – Porto da AV Minho, que passam por Viana do Castelo, partiram às 05h15 e 06h55, horas antes de ambos os velhinhos poderem contar com serviço público para os transportar.

A AVIC, que em tempos abandonou o serviço local, por desencontro de valores com a autarquia, tem um autocarro que nos encanta e faz-nos sentir uma personagem de Vinte Horas de Liteira, de Camilo Castelo Branco.

Nesta possibilidade, pode o senhor Cachapa fazer o seguinte: Sair de Melgaço pelas 17h20 do dia anterior à consulta com o Dr Faro e seguir até Friestas (Valença), onde o autocarro suspende a marcha (segundo site da empresa).

Aí chegado, Cachapa lamentará que aquela senhora que estava na recta de Verdoejo tenha abandonado eventual “apoio psicológico” aos transeuntes, pois teria longas horas para pôr a conversa em dia e até um ou dois divãs para esticar as costas.

Na manhã do dia seguinte, o nosso aventureiro clínico agradeceria que senhora do ‘apoio’ tivesse a bondade de o aviar com uma caneca de Tofina e um papo-seco com manteiga e às 07h45 ala!, autocarro até Viana que, agora sim, chega ao Centro Coordenador de Transportes pelas 09h05, ainda muito a tempo da consulta com o doutor Faro e, com sorte, já a ver o mundo com outros olhos. Mais tranquilos.