Isabel Carvalhais veio ao território melgacense descortinar a “intensidade” do mundo rural e levar testemunhos de quem desafia a natureza


João Martinho


“Este território que está muito longe de estar adormecido”

 

A deputada ao Parlamento Europeu no Grupo da Aliança Progressista dos Socialistas e Democratas, Isabel Carvalhais, esteve em Melgaço no final de Fevereiro para uma série de visitas ao mundo rural que poderão ser vistas em vídeo nas plataformas online da eurodeputada e em programa nas rádios da região minhota.

A propósito desta visita e de uma série de entrevistas conduzidas pela própria, gravadas em vídeo, a eurodeputada ficou a conhecer o processo de implementação do programa NUTRIR, o projecto do Centro de Investigação e Desenvolvimento em Sistemas (CISAS) do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, sediado na Escola Superior de Desporto e Lazer de Melgaço, e que tem já a trabalhar três investigadoras.

Nuno Vieira e Brito, Coordenador do programa que está em fase de expansão nos concelhos do Vale do Minho e num do Vale do Lima, Arcos de Valdevez, explicou a Isabel Carvalhais o ponto de situação do tecido produtivo a organizar e apoiar tecnicamente, mas também através de criação de marcas que valorizem a produção de pequena dimensão do território.

A eurodeputada suspendeu este périplo pelo mundo rural devido à pandemia Covid-19, não chegando a concretizar os planos de visitação definidos após a eleição para o Parlamento Europeu, mas promete retomar uma agenda que sustentará da melhor forma o seu trabalho enquanto relatora para a visão de longo curso das zonas rurais.

“Este território que está muito longe de estar adormecido. Queremos passar para os menos atentos de que a ruralidade e o mundo rural não estão no passado, estão perfeitamente integrados no presente e têm futuro”, nota a eurodeputada, em declarações ao jornal “A Voz de Melgaço”.

A mensagem é de “sustentabilidade ambiental”, de “riqueza económica” ou até de apelo à fixação de jovens no mundo rural, mas Isabel Carvalhais assume querer mostrar “a intensidade e diversidade de projectos ligados à agricultura e turismo rural”.

Defende o mundo rural que trabalha a “simbiose” com o meio ambiente, “sem perturbar os ecossistemas, tirando o melhor partido que a natureza nos pode dar, sem ser impositiva, que aprender a escutar e estar com a natureza”.

Quanto à falta de escala produtiva da região e à baixa densidade populacional verificada, a eurodeputada considera que estas limitações não são “por si só um problema”, mas um “desafio” e diz que há sempre margem para levar para a montra europeia “aquilo que quisermos que se conheça”.

“Há todo um espaço par levarmos produtos que se diferenciam pela qualidade. O seu valor acrescentado está no facto de resultarem desta relação simbiótica com os ecossistemas e o espaço para os produtos que se destacam pela qualidade e não pela quantidade. De uma maneira geral, temos feito um percurso muito bom enquanto país no sentido de divulgar não só aquilo que são os grandes projetos, de grande escala, mas também levarmos estes produtos que valorizam a dimensão cultural e identitária das comunidades que os produzem”, acrescenta ainda a eurodeputada.

O Presidente da Câmara Municipal de Melgaço, Manoel Batista, acompanhou Isabel Carvalhais nas visitas às empresas locais que também apostam pela diferenciação e “desafiam” a natureza. A vinha de casta Alvarinho, plantada na Branda da Aveleira, a mais de mil metros de altitude, pela marca Soalheiro; e a queijaria Prados de Melgaço, foram o cartão-de-visita para o retrato da “intensidade” das empresas em contexto rural.

É no terreno que se percebe a densidade, mas também a grandeza dos territórios. Temos habitualmente muita propensão para nos queixarmos, ou para nos apoucarmos, quando os territórios têm algo de grande. Recebemo-la de braços abertos e tivemos oportunidade de ficar com a noção de que estamos perante uma eurodeputada absolutamente esclarecida nestas matérias”, notou Manoel Batista, reforçando a importância do trabalho da eurodeputada que, “como responsável pela elaboração de um relatório sobre o mundo rural na europa”, é “uma pessoa empenhada, conhecedora”, remata.